LOGO - PATROCINIO 02.jpg
LOGO - PATROCINIO 02.png

Clique na imagem para ver as possíveis soluções para cada tipo de amputação.

 

 

 

Clique na imagem para mais informações.

Hemipelvectomia

 

No caso de hemipelvectomia, são amputadas a perna inteira e partes da bacia até o sacro. Como consequência desse tipo de amputação, a bacia terá que controlar a prótese.

Para a protetização, são necessários um pé protético, uma articulação do joelho, uma articulação de quadril, adaptadores e elementos de conexão para o encaixe protético. O encaixe é o componente que conecta a prótese ao membro residual.

Sabe-se que um revestimento estético pode ser aplicado sobre uma prótese, para que esta fique visualmente imperceptível.

Clique na imagem para mais informações.

Desarticulação de Quadril

 

Na desarticulação do quadril, a amputação é realizada na área da articulação do quadril. Como consequência desse tipo de amputação, a bacia terá que controlar a prótese.

Para a protetização, são necessários um pé protético, uma articulação do joelho, uma articulação de quadril, adaptadores e elementos de conexão para o encaixe protético. O encaixe é o componente que conecta a prótese ao membro residual.

Sabe-se que um revestimento estético pode ser aplicado sobre uma prótese, para que esta fique visualmente imperceptível.

Clique na imagem para mais informações.

Amputação transfemoral 

 

Em uma amputação transfemoral, que é uma amputação na área da coxa, o osso da coxa (fêmur) é cortado.

Para a protetização, são necessários um pé protético, uma articulação do joelho, adaptadores e elementos de conexão para o encaixe protético. O encaixe é o componente que conecta a prótese ao membro residual.

Sabe-se que um revestimento estético pode ser aplicado sobre uma prótese, para que esta fique visualmente imperceptível.

Clique na imagem para mais informações.

Desarticulação do joelho

 

A desarticulação do joelho ocorre quando a articulação do joelho é cortada, retirando-se a panturrilha. A coxa permanece intacta.

Para a protetização, são necessários um pé protético, uma articulação do joelho, adaptadores e elementos de conexão para o encaixe protético. O encaixe é o componente que conecta a prótese ao membro residual.

Sabe-se que um revestimento estético pode ser aplicado sobre uma prótese, para que esta fique visualmente imperceptível.

Clique na imagem para mais informações.

Amputação transtibial 

 

Na amputação transtibial, que é uma amputação na área da panturrilha, a tíbia e a fíbula são cortadas.

Para a protetização, são necessários um pé protético, adaptadores e elementos de conexão para o encaixe protético. O encaixe é o componente que conecta a prótese ao membro residual.

Sabe-se que um revestimento estético pode ser aplicado sobre uma prótese, para que esta fique visualmente imperceptível.

Clique na imagem para mais informações.

Desarticulação do tornozelo - SYME

 

A desarticulação do tornozelo ocorre quando a articulação do tornozelo é cortada, retirando-se o pé. A tíbia e a fíbula permanecem intactas.

Na amputação tipo SYME a parte distal (inferior) da tíbia e fíbula são amputadas.

Para a protetização, são necessários um pé protético, uma articulação do joelho, adaptadores e elementos de conexão para o encaixe protético. O encaixe é o componente que conecta a prótese ao membro residual.

Sabe-se que um revestimento estético pode ser aplicado sobre uma prótese, para que esta fique visualmente imperceptível.

Clique na imagem para mais informações.

Amputação de pé

 

Conhecem-se mais de doze níveis diferentes de amputação na área do pé. Eles variam de uma amputação de dedo, uma amputação de meio-pé, até uma amputação na área do tarso, as mais conhecidas são amputação tipo Chopart, Lisfranc e transmetatarsiana.

Para uma protetização, podem ser usadas próteses de silicone.

*Imagens e informações retiradas do site da ottobock.

 

https://www.ottobock.com.br/prosthetics/informação-para-amputados/da-amputação-a-reabilitação/nível-de-amputação/